Paróquia Menino Deus - Toledo

 

   A Paróquia Menino Deus, com a matriz situada no Bairro Jardim Porto Alegre, cidade de Toledo, foi desmembrada da Paróquia Cristo Rei, Catedral, e da Paróquia Nossa Senhora do Carmo de Assis Chateaubriand. Os primeiros moradores do bairro são famílias vindas de Alto Alegre, distrito do município de Espumoso – Rio Grande do Sul. O primeiro morador foi o casal Nelson e Lucia Gatto que se estabeleceu em junho de 1965. Logo a seguir em julho de 1965 veio a família de Eduardo e Ermínia Gatto, seguidos das famílias de Domingos e Ivone Rotta, Osvino e Olinda Kappes neste mesmo ano. Diziam ser tudo mato, com pequenas estradas abertas pelo trator de esteiras. A principal rua era a ”rua do aeroporto”, atualmente a rua J.J. Muraro.
   A 1ª missa celebrada no bairro aconteceu em 1969, sobre um caminhão exatamente onde hoje está construído o colégio Santos Dumont, pelo Pe Santo Pelizzer. Esta quadra pertencia a Mitra Diocesana, permutada posteriormente pela quadra onde atualmente se encontram as instalações do centro catequético, na gestão do prefeito Egon Pudel. O terreno onde está sendo construída a igreja foi doação pública, projeto encaminhado pelo então vereador João Leonardi.
   O decreto de criação da paróquia deu-se em 6 de maio de 1971, pelo bispo Dom Armando Círio. O que motivou o bispo foi o fato de ter se impressionado em 1969, ao passar pelo bairro à noite, e ter visto tanta gente reunida numa casa rezando o terço, seguindo a capelinha de Nossa Senhora (trabalho das Zeladoras de Capelinhas).
   Em 9 de maio de 1971 deu-se posse ao 1º pároco. O mesmo permaneceu até junho de 1973. De junho de 1973 a 9 de maio de 1974(10meses) a paróquia vacante foi, atendida pelo Pe Davi Schantz, vindo do Rio Grande do Sul, por alguns fins de semana . (Dado pitoresco: sem túnica emprestou para as celebrações a batina do ex-seminarista Lino Gatto).
   Ainda neste período, após o Pe Davi Schantz, o Pe Santo exporadicamente celebrava missa com fiéis da comunidade.
   A desistência do ministério sacerdotal do Pe Eduardo e Pe Davi, causou grande sofrimento a comunidade, que incentivada pelo Pe Santo Pelizzer, começou a rezar diariamente um Pai Nosso pedindo a Deus a graça de ter sacerdote para a comunidade. (Obs: Pe Eduardo, dispensado do ministério sacerdotal e casado na Igreja, morreu em Santa Fé distrito de Nova Santa Rosa. Recebia freqüentemente a Santa Eucaristia, da Mac Irnoime Benke)
   O pedido foi atendido por Deus aos três de março de 1974, quando os padres freis franciscanos missionários assumiram a paróquia. Foi nomeado pároco Frei Alceu Richetti e assumiu como “vigário cooperador” Frei Edmundo Costella. Com eles veio também Frei Irineu Costella com a missão de iniciar o seminário menor dos frades.
   Aos quinze de maio de 1974 iniciaram-se as obras da construção da casa paroquial e o seminário com capacidade para 30 seminaristas. Em 28 de julho do mesmo ano foi inaugurada a casa paroquial e o seminário com a presença de Dom Armando Círio e Dom Geraldo Pellanda, bispo de Ponta Grossa, fundador do instituto dos Frades Menores Missionários. Era construção em madeira onde atualmente se encontra o Centro catequético da paróquia.
   Esta é a 2ª casa paroquial da paróquia uma vez a primeira foi vendida pela mitra diocesana, no período vacante, para auxiliar na construção do Seminário Menor São José em Cascavel. (Anexo foto da 1ª casa paroquial hoje de propriedade do Sr Libório Klasmann)
   Santuário São Pelegrino: Foi inaugurado em 26 de dezembro de 1976, construído numa área de 3,500m² doado pelos senhores Wilson Donin e Remi Scur. As pessoas o freqüentavam diariamente já desde o seu inicio. São Pelegrino, padroeiro da Diocese de Foligno, na Itália, conhecido como defensor contra o câncer. Atualmente continua a ser visitado e todas às 6ª feiras celebra-se a santa missa com a presença de grande público.
   Aos 13 de setembro de 1976 iniciou-se a construção da igreja, pela empresa Verani, com a sede em Curitiba, tendo como construtor responsável o Sr Harry Grimm. Pela comunidade respondia a diretoria na pessoa dos senhores Nelson Gatto, Ângelo Cornelli e Elio Sperafico. Em 15 meses a obra foi concluída, num custo total de “um milhão e quinhentos e noventa mil cruzeiros”. Foi inaugurada no dia 27 de dezembro de 1977, com missa presidida por Dom Armando Círio. Construída no mesmo local onde atualmente se constrói uma nova Igreja. A parte do salão que servia de Igreja passou a integrar o salão de festas.
   Além da matriz a paróquia era composta desde o inicio por 4 grandes comunidades no interior: São Luiz Gonzaga em São Luiz do Oeste, teve sua 1ª missa celebrada no dia 06/09/1964 na pequena escola pelo padre Miguel Ângelo Romero . A Igreja foi construída também em 1964. O primeiro MAC foi o senhor José Wille (in memorian).
   Seus primeiros moradores foram Macoto Tizima, Armindo da Silva, Artur Sulzbacher, Arlindo Lorscheider, Selvino Joner, Adelar Hoffmann, Nelcindo Kunsler, Haroldo Baumgartner, Affonso Rohte, José Avelino Gerhardt, Matias Zuhr.
   Santo Antônio em Ouro Preto: Por volta de 1950 a comunidade foi fundada pelos Senhores Joaquim Zapello, Avelino Preto, Claudino Scain, João Bini, João Brunner. Este era um fazendeiro de São Paulo, que trouxe junto com ele várias famílias e iniciou o plantio de café na comunidade. Entre elas Carlos Gerlach, José Miguel Martignoni, Genésio Bussatto, Valdomiro Schoffen e Antenor Lesseux. Todos pequenos agricultores. Em forma de mutirão construíram uma escola cujo 1º professor foi Olivo Cielo. Neste mesmo local a comunidade se reunia aos domingos para as celebrações com o Pe. Santo Pellisser. Até então os batizados eram feitos por um sacerdote que vinha à cavalo da cidade de Guaíra. A capela foi inaugurada em outubro 1963. O primeiro padroeiro foi Santo Expedito e na inauguração da nova capela em 1983 foi substituído por Santo Antonio.
   São Francisco de Assis em Boa Vista: Os primeiros moradores foram as famílias Argenton, Schuh, Guesser, Costa, Schnorrenberger, Berté, Barbieri. A primeira missa foi celebrada pelo Pe. Antonio Patuy e a 1º capela foi inaugurada em 1962 com missa celebrada pelo Pe Santo Pelizzer.
   Nossa Senhora das Graças em Bom Principio: Seus primeiros moradores foram Seno Kaefer, João Balduino Martini, Armindo Wathier, Seno Kiling, Biásio Rostirola, Biásio Nezelo, Jorge Capelesso, Luiz Nezelo, Virilio Nozari, Pedro Munaro, Guilherme Bragatoli, Boaventura Vanderlinde, Alberto Malmann, Pascoal Secato, André Vinkler, Osvaldo Elger, e Edgar Elger. As celebrações eram realizadas dentro do escritório da Pinho e Terra e em 1959 foi construída uma capela de madeira reformada em 1965. Em 25/11/1973 iniciaram-se as obras da construção da nova capela e no ano de 1978 foi inaugurada. Comunidades menores já constituídas começaram a pertencer à paróquia desde o seu inicio: São Roque em São Roque do Lopei; Seus primeiros habitantes são gaúchos vindos em 1954. Em 1960, as nove famílias sentiram a necessidade da criação da própria comunidade. No mesmo ano foi construída uma pequena igreja de madeira que servia também como escola. A primeira missa foi campal e celebrada pelo Pe Marcelino; São José em Sol Nascente: Os primeiros moradores foram as famílias Ichida, Miura e Soto. Rezavam em língua nipônica no clube Japonês. Após chegou a família do Sr Virgilio Skain. Em 1965 foi inaugurada a Igreja: Nossa Senhora de Fátima na Linha Dr Ernesto: Seus primeiros moradores foram Edvino Simon e Leonel Herkert. Antes de 1970 as celebrações aconteciam na escola e após no barracão da comunidade. Em 1980 foi construída a atual Igreja; Nossa Srª Aparecida em Buê Caé: Seus primeiros moradores são as famílias Schumacher, Burin, Hatmann, Cerbaro, Bolcholts, Angi, Tilg, Colonho, Rossi, Zottis, e Tasca. Sua Igreja foi construída em 1977; Nossa Senhora da Salete em Gramado: Seus primeiros moradores foram Ernesto Basso, Otacílio Gazoni, Alcides Turcato, Família Isotton, Raineri e Orlando. As primeiras missas na comunidade foram rezadas nas dependências da escola. A igreja foi inaugurada no dia 19/09/1971; São Mateus em Vista Alegre: Os primeiros moradores foram Alcides Dalprá, Querino Fornari, Família Munaro. As primeiras missas foram celebradas na escola e logo após, no ano 70 foi construído um barracão para celebrar as missas e a comunidade passou a ter São Mateus como padroeiro e em 1972 foi construída a atual capela. São Roque em São Roque da Memória: Os primeiros moradores foram José Juvêncio Borges, Manoel Alano, Camurzino Vieira, Vitoldo Szumonski e Ângelo Burin; Chegaram no ano de 1954 e o local era chamado de estrada paraguaia. As missas eram celebradas na escola e em 1957 começaram as construções da nova capela. No dia 23/08/1958 foi inaugurada a capela São Roque e o lugar também passou a se chamar São Roque da Memória. Santa Terezinha do Jardim Pasqualli; No dia 02/07/1996 foi doado pela prefeitura 3.480m² e mais 8 lotes pelo senhor Dionizio Pasqualli. A construção do salão foi iniciada em 15/05/1999. Além das capelas a paróquia tem alguns setores celebrativos, Nossa Senhora do Rosário no Jardim Independência, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no Jardim Concórdia, Comunidade Santa Rita de Cássia no Jardim Bandeirantes.
   No dia 1º de abril de 1978 chegaram as irmãs terciárias franciscanas da Beata Angelina. Vieram as irmãs Pierina Vagnoni e Geovanna Vagnoni, naturais da Itália, que residiam na comunidade de Vila Maria em Curitiba. Em 1979 veio também da Itália , Irmã Pia Tacconi, atualmente, madre geral em Roma, para ser mestra de noviças.
   Desde sua vinda a presença das irmãs é marcante na comunidade paroquial e assessoram diversas dimensões da ação evangelizadora desde o principio até hoje.
   Aos 22 de setembro de 1978 é nomeado pároco Frei Bruno Fardo, substituindo o Frei Alceu Richetti. Aos 2 de janeiro de 1980 foi nomeado pároco o padre Frei Eusébio Ferretto, substituindo Frei Bruno Fardo. Já aos 24 de março de 1980 assume a paróquia Frei Gaspar Zonta.
Aos 1º de setembro de 1982 é nomeado pároco o Pe Frei Alceu Richetti.
   O que caracterizou pastoralmente a comunidade paroquial neste seus primeiros 11 anos foi a dimensão sacramental e litúrgica com corais musicais fortes também nas comunidades do interior, um bom trabalho de catequese e uma boa organização do Apostolado da Oração e Zeladoras de Capelinhas nas comunidades, além da presença e forte atuação de pastoral da juventude nas comunidades, com destaque ao grupo de jovem JUJA na matriz. Uma das característica marcantes deste período foram as missões e procissões freqüentes, ora para o Santuário São Pelegrino, ora para o seminário Nossa Senhora de Fátima.
   A caminhada era boa e números dão o tamanho da comunidade de então. Em 1982 fizeram a 1ª eucaristia 137 crianças e a paróquia contava com 103 catequistas.
   Com a vinda do Pe Frei Alceu Richetti a comunidade tomou novo impulso.
Aos 22 de Janeiro de 1983 criou o conselho de pastoral da comunidade e uma comissão para as questões administrativas a cargo o pároco e dos senhores Nelson Gatto e Tarcisio Herkert,
   “Composição do conselho de pastoral da comunidade: O presidente nato é o pároco. O coordenador; Libório e Lorena Klasmann; secretário - Érico e Adiles Birk ; 2º secretário- Ivone Kloh; tesoureiro – Marino Birk e esposa ; Pastoral Familiar- Dirceu Rossetto e esposa com os coordenadores de quadras; Catequese - Lino e Terezinha Gatto, Lurdes Gaioski e Rina Todeschini; Formação - Jorge e Verônica Hein, Liseu e Carmelita Rhoden; Pastoral Matrimonial – Mario Celestino e esposa; Liturgia - Elisete Faita e Irmãs Franciscanas; Jovens - Clovis Giaretta; Vocação -Irineu e Ercilia Hekert, João da Silva e esposa; Apostolado da Oração -Terezinha Gatto; capelinhas- Lúcia Gatto e Leonilda Passarini; Adolescentes – Genuino e Pierina Conci; Administração - Nelson Gatto e esposa, Tarcisio Hekert e esposa; promoção - Angelo Cornelli e esposa, Luciano Noll e esposa, Vilson Donin e esposa. Estes são os membros do CPC. Todavia ficou estabelecido que os membros poderão ser aumentados. O Conselho de Pastoral da Comunidade se reunirá todos os primeiros sábados de cada mês. O CPC portanto, é composto de coordenador, secretário e tesoureiro. Três casais para a promoção, o pároco e dois casais para a administração e dois membros de cada linha de pastoral”.(livro tombo, pág 7)
Também nas comunidades do interior foi constituído o CPC .
   Aos 20 de maio de 1985 foi inaugurado o salão paroquial, construido em 6 meses, no valor de cento e setenta e 2 milhões de cruzeiros.
Aos 23/04/1986 aconteceu a primeira visita pastoral à paróquia realizada por Dom Lucio, bispo diocesano.
   Aos 21 de setembro de 1986, aconteceu, talvez, a primeira assembléia paroquial de pastoral para revisão da caminhada e planejamento, na qual também se refletiu sobre as prioridades diocesanas: Família, Juventude e Pastoral Rural.
   Aos 4 de janeiro de 1987, após reuniões nas comunidades onde se estabeleceram as contribuições das mesmas para com os custos paroquiais, em assembléia paroquial fez-se opção pelo dízimo e considerou-se como”definitivamente implantado na paróquia o dizimo”.(livro tombo pág 8) E aos 22/02/1887 em Assembléia constitui-se a “diretoria do dízimo”, cujo membros eram: Dirceu Rossetto, Vilson Donin, Celso Scherer, Domingos Rotta e Moacir Lorenzi.
Aos 22/03/1987 iniciou-se o 1º grupo de oração do RCC na paróquia.
No ano de 1988 aconteceu a primeira festa paroquial da catequese com gincanas. Foram sete festa em 7 anos consecutivos -Era considerada a festa paroquial.
   Aos 28 de dezembro de 1989 iniciou-se a 2ª etapa da construção do centro catequético com sala de conferência, capela, refeitório , cozinha e auditório. Foi inaugurado aos 16/07/1989.
Aos 20 de julho de 1989aconteceu a 2ª visita pastoral de Dom Lucio à paróquia.
   Aos 26/06/1993 morre de infarto Pe Frei Alceu Richetti e em seu lugar assume como administrador paroquial o Pe Frei Eusébio Ferretto.
Aos 23/03/1995 foi nomeado vigário paroquial Pe Frei Ademir Luiz Fontana para auxiliar o administrador paroquial Pe Frei Eusébio Ferretto.
Aos 21/10/1995 é nomeado e empossado pároco da paróquia o Pe Hélio José Bamberg padre diocesano. São nomeados na mesma ocasião os vigários paroquiais os Freis Eusébio Ferretto e Mauricio Miquelon. O mesmo passou a residir na casa de sua mãe, uma vez que a paróquia não tinha casa paroquial. Após 3 anos outubro de 1998, a comunidade se mobilizou e adquiriu uma casa onde o pároco reside hoje. E atualmente atua como vigário Paroquial Frei Levi Jones Botke.
   Desde 1995 a ação evangelizadora e administrativa foi informatizada. Foi implantada a pastoral do batismo, pastoral da terceira idade, pastoral da criança, e pastoral do auxilio fraterno. Todas as ofertas de missas e cultos de toda a paróquia são destinadas aos mais necessitados, através da equipe paroquial. São visitadas e atendidas as famílias das paróquias e o excedente é destinado as entidades assistenciais na cidade de Toledo e parte é enviada para as missões. A caminhada da ação evangelizadora se realiza e é direcionada pelas assembléias paroquiais e conselhos de comunidades, com fortes coordenações leigas à frente de cada dimensão de pastoral, assessoradas pelo pároco, freis e irmãs franciscanas. São 18 pastorais e movimentos: Liturgia, Catequese, Auxilio Fraterno, Grupos de Reflexão, Pastoral da Criança, Pastoral Familiar, Pastoral da Saúde e esperança, Pastoral do batismo, Pastoral Vocacional, Pastoral Educacional, Ministros Auxiliares da Comunidade, Coroinhas, Jovens, Adolescentes, Cursilho, Renovação Carismática, Apostolado da Oração e Zeladoras de Capelinhas.
   Um dos momentos fortes da caminhada paroquial é a Festa do Menino Deus e da Criança – Festa da Benção, que já teve 12 edições, criada em 1998.
   Ela busca desenvolver a devoção ao Menino Deus e tem tema e lema, escolhidos pelas lideranças para cada edição. Os mesmos se tornam uma reflexão e proposta de vivência comunitária ao longo de 4 meses ao ano. É uma festa com hino e novena próprios. Motivam-se todos os fiéis da paróquia a rezar diariamente o Pai Nosso , pedindo a graça e assumir a caminhada dada pelo tela e lema: Assim, lembrando todos os dias, a pessoa é levada a um “quase retiro espiritual” com a comunidade em torno do tema e lema.
   Segundo dados do IBGE no ano de 2007, fazem parte do setor urbano da Paróquia os bairros , Jardim Concórdia, Jardim Independência, São Pelegrino, Jardim Carelli, Parque Verde, jardim das Nações, Jardim Bandeirantes, BNH Alta Floresta, Jardim Giselle e Jardim Porto Alegre. São 15.032 habitantes dentre os quais em torno de 1.500 habitantes são de outras confissões Religiosas. Nas 11 comunidades do interior residem 3.664 habitantes num total de 18.696 habitantes.
   Alguns dados atuais: 65 MAC; 85 grupos de famílias; 125 zeladoras de capelinhas; 1.200 crianças na catequese e 128 catequistas; 65 lideres na pastoral da criança que prestam assistência e 393 famílias e várias gestantes.
   Três agentes de pastoral liberados que acompanham e dinamizam as pastorais da catequese, educação, auxilio fraterno, criança e idosos.
Desde janeiro de 2003 a comunidade paroquial está empenhada na construção da nova Igreja-matriz de 1,286 mt² . O projeto tem como inspiração e se pauta na idéia : “ A alma do nosso povo” . Seu projeto arquitetônico é um arranjo que combina um estilo romano com elementos góticos e colonial brasileiro. Tem no seu projeto 370 mt de mosaicos que contemplam a história da salvação do Novo Testamento baseada nos mistérios gozozos, dolorosos, gloriosos e luminosos. Contempla ainda, através dos mosaicos, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus e imaculado Coração de Maria, dá-se destaque à SSma Trindade e a Sagrada Família.

-Provisão de pároco – segundo o livro tombo
-Padre Eduardo Ruckhaber – 06/05/1971 até 1973
-Frei Alceu Richetti -1974 até 1978
-Frei Bruno Fardo – 23/09/1978 até 1979
-Frei Euzébio Feretto – 02/01/1980 até 03/1980
-Frei Gaspar Zonta – 24/04/1980 até 1982
-Frei Alceu Richetti – 12/09/1982 até 1993
-Falecimento do Frei Alceu Richetti – + 26/06/1993
Administrador Paroquial Frei Euzébio Ferretto – 06/08/1993 até 1995
Pe Helio José Bamberg – 21/10/1995 até hoje.

Vigários Paróquias:
Frei João Brolini- 20/04/1992
Frei Euzébio Ferreto - 21/10/1995
Frei Mauricio Miquelon – 21/10/1995
Frei Ailton Santos de Castro -20/02/1998
Frei Osni Dombroski- 07/10/1999
Frei João Brolini – 05/08/2000
Frei Vilson Lagni – 16/03/2002
Frei Ivan Nava- 18/02/2005 até 2008
Frei Levi Jones Botke- 26/07/2006 até hoje


Padres e Irmãs, filhos da Paróquia
Pe Luiz Carli- natural de São Luiz do Oeste estudou 2 anos no Seminário Nossa Senhora de Fátima em Toledo(1977 e 1978) e 1979 em Ponta Grossa.
Ordenação – 12/10/88 – Sinop Mt. Hoje pároco na cidade de Claudia.

Frei Luiz Fiorentin: Natural de Toledo Pr
Nasc: 07/01/1968
Ordenação: 12/12/2004 – Paróquia Menino Deus

Ir Maria Loiza Fiorentin – Franciscana da Beata Angelina
Nasc: 28/06/1961
Votos: 10/05/87

Ir Luzia Soares Cangirana - Franciscana da Beata Angelina
Votos: 10/01/2004.

WEBMAIL
NEWSLETTERS
Copyright - Diocese de Toledo - 2014 - Todos os direitos reservados.